Pular para o conteúdo principal

Nos EUA, clínica permite rotina liberal a idosos com Alzheimer

do New York Times

Margaret Nance era um caso difícil. Agitada e agressiva, ela não comia e batia nos funcionários e colegas de casas de repouso onde morou.

Mas isso mudou quando Nance foi aceita na casa Beatitudes, em Phoenix (EUA).

Sem se importar com as regras convencionais, a clínica permite que Nance, 96, portadora de Alzheimer, vá dormir, tomar banho e jantar quando quiser, mesmo que o cardápio for só chocolate.

Pacientes com demência na Beatitudes podem fazer qualquer coisa que lhes traga conforto, até tomar um drinque antes de dormir, afirma Tina Alonzo, diretora de pesquisa do lugar.

A postura incomum segue as últimas descobertas da ciência. Pesquisas sugerem que criar experiências emocionais positivas para pacientes com Alzheimer diminui ansiedade e problemas comportamentais.

Isso envolve suspender remédios contra ansiedade e antipsicóticos, usados contra alucinações e agressão.

Em vez deles, especialistas recomendam remédios para controlar dor ou depressão, para lidar com o que está deixando os pacientes infelizes.

Outros indicam mudanças estéticas nos quartos.

Um estudo do periódico "Jama" descobriu que luzes mais claras diminuem depressão, deterioração cognitiva e perda de habilidades.

As luzes claras melhoram o ritmo circadiano e deixam os pacientes mais ativos.

Algumas clínicas alemãs têm pontos de ônibus falsos para evitar que os pacientes se percam. Eles podem esperar ônibus que não existem até que se esqueçam de onde queriam ir ou concordem em entrar de novo.

Na Beatitudes, foi instalado um tapete preto em frente ao elevador. Os moradores o veem como se fosse um buraco e não tentam pegar o elevador para sair.

"Eles andam pelas beiradas, mas não pisam na parte preta", afirmou Alonzo, que acha isso melhor do que medidas de segurança, como pulseiras com alarmes.

A clínica eliminou quase todas as restrições, desde as cadeiras de rodas com assentos profundos, que desencorajam os pacientes a ficar em pé, até os protetores de cama -algumas são baixas e protegidas por tatames.

A instituição encoraja os residentes a ficar sem fraldas o máximo de tempo possível, levando-os ao banheiro para preservar o sentimento de independência.

A comida passou a ficar disponível constantemente, uma providência esperta, porque alguns pacientes ficavam distraídos demais para comer em grupo e se comportavam mal depois.

Percebendo que comida sem sal e sem gordura podia desencorajar os pacientes a se alimentar, a diretora da clínica começou a levar chocolate nos bolsos.

A clínica também mudou a programação de atividades. Em vez de eventos em grupo, como bingo, funcionários, incluindo as faxineiras, conduzem atividades individualizadas: montar com bloquinhos, colorir, conversar.

Informações sobre o mal de Alzheimer

> Qualidade de vida do idoso.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigos de Luiz Felipe Pondé

Marketing social é coisa de gente mentirosa e egoísta.
Título original: Marketing social (3 de setembro de 2012)

Quem acha 'todo outro lindo' deveria defender apedrejadores.
Título original: Sensibilidade cultural (13 de agosto de 2012)

Ser humano só revela o que tem de melhor quando é esmagado.
Título original: "Bonequinha de Luxo" (6 de agosto de 2012)

Todo mundo quer ser 'legal' e ninguém quer ser pecador.
Título original: Ideologia de privada (30 de julho de 2012)

Espiritualidade trágica dos gregos é a melhor.
Título original: Nêmesis (23 de julho de 2012)

Mercado do apocalipse verde tem tudo do fanatismo
Título original: O infiel (16 de julho de 2012)

Todo mundo que crer salvar o mundo é autoritário
Título original: Demagogia verde dos salvadores (15 de junho de 2012)

Inferno não são os outros, mas o 'marketing do eu', diz Pondé
Título original: Meu inferno mais íntimo (4 de junho de 2012)

Só mentirosos negam que sejamos responsáveis por nossas escol…

O que muda na língua portuguesa com a reforma ortográfica

A reforma ortográfica só será obrigatória a partir de 2012, mas as novas regras já podem começar a ser aplicadas a partir de 2009. O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa uniformiza o português do Brasil, Portugal, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe. Veja o que muda neste texto do professor Sérgio Nogueira. 



> Regras especiais


1ª) Regra dos hiatos (abolida pela reforma ortográfica):
Como era?
Todas as palavras terminadas em “oo(s)” e as formas verbais terminadas em “-eem” recebiam acento circunflexo: vôo, vôos, enjôo, enjôos, abençôo, perdôo; crêem, dêem, lêem, vêem, relêem, prevêem.

Como fica?
Sem acento: voo, voos, enjoo, enjoos, abençoo, perdoo; creem, deem, leem, veem, releem, preveem.


Que não muda?
a) Eles têm e eles vêm (terceira pessoa do plural do presente do indicativo dos verbos TER e VIR);

b) Ele contém, detém, provém, intervém (terceira pessoa do singular do presente do indicativo dos verbos derivados de TER e VIR: conter, deter, manter, obter, provir, intervir, convir);���…

Europa tem 75 mil prostitutas do Brasil

Em ruas de prostituição de Genebra, na Suíça, português é língua corrente. Nos classificados de jornais europeus, apresentar-se como “brasileira” costuma render mais clientes e programas mais caros. Não por acaso estrangeiras fingem ser do País para competir pela atenção dos homens.


do Estado de S.Paulo

Estimativas da Organização Internacional de Migrações (IOM), agência ligada à ONU, apontam quase 75 mil prostitutas brasileiras trabalhando hoje na Europa. E esse número só cresce. “Espanha, Holanda, Suíça, Alemanha, Itália e Áustria são os principais destinos”, diz a entidade. E o total de mulheres que deixam o Brasil é bem superior ao de homens. Na Itália, dos 19 mil brasileiros vivendo legalmente no País em 2000, 14 mil eram mulheres. O número elevado de prostitutas contribui para a diferença.

Dados do governo espanhol apontam existência de 1,8 mil prostitutas brasileiras no país e 32 rotas de tráfico de mulheres. Muitas usam Portugal como porta de entrada e praticamente todas chegam…