Pular para o conteúdo principal

Fumar na adolescência pode causar depressão na vida adulta, diz estudo

Da BBC Brasil:

Fumar na adolescência pode levar à depressão na vida adulta, sugere um estudo americano publicado na edição desta semana da revista científica Neuropsychopharmacology.

Os pesquisadores da Universidade Florida State injetaram ratos adolescentes por 15 dias com doses diárias de nicotina ou uma substância de água com sal.

Depois desse período, os cientistas submeteram os ratos a diversos experimentos para testar as reações dos animais a situações estressantes, assim como a resposta à oferta de recompensas.

Os resultados indicam que os ratos que receberam nicotina passaram a apresentar sintomas associados à depressão, como ansiedade, repetição dos hábitos de limpeza e uma diminuição no consumo de recompensas como doces.

Além disso, os animais ainda demonstraram imobilidade em situações estressantes.

"O estudo é interessante porque é o primeiro a mostrar que a exposição à nicotina na vida adolescente pode ter conseqüências neurobiológicas a longo-prazo", disse Carlos Bolanos, que coordenou o estudo.
 
Segundo os pesquisadores, os resultados observados nos roedores sugerem que o mesmo pode acontecer com humanos.

Para testar o efeito da exposição a nicotina na vida adulta, os pesquisadores injetaram a mesma quantidade da substância em um grupo de roedores adultos.

Depois de realizar os mesmos testes, os pesquisadores não observaram sintomas de depressão nos ratos adultos.

Segundo Bolanos, ainda não se sabe ao certo como a nicotina trabalha no cérebro e no sistema nervoso para induzir esses resultados.

No entanto, ele afirma que a exposição tem efeitos tóxicos em diversas regiões do cérebro e do sistema neurotransmissor em períodos distintos do crescimento.

Os cientistas esperam poder realizar outros estudos sobre como esse processo pode ocorrer no sistema nervoso.

"A mensagem aos adolescentes é para que não fumem e nem experimentem", disse Bolanos.
 
"Se fumarem, eles precisam estar cientes dos potenciais efeitos a longo prazo que o cigarro pode trazer para o corpo", afirmou o pesquisador.

Mais sobre cigarro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigos de Luiz Felipe Pondé

Marketing social é coisa de gente mentirosa e egoísta.
Título original: Marketing social (3 de setembro de 2012)

Quem acha 'todo outro lindo' deveria defender apedrejadores.
Título original: Sensibilidade cultural (13 de agosto de 2012)

Ser humano só revela o que tem de melhor quando é esmagado.
Título original: "Bonequinha de Luxo" (6 de agosto de 2012)

Todo mundo quer ser 'legal' e ninguém quer ser pecador.
Título original: Ideologia de privada (30 de julho de 2012)

Espiritualidade trágica dos gregos é a melhor.
Título original: Nêmesis (23 de julho de 2012)

Mercado do apocalipse verde tem tudo do fanatismo
Título original: O infiel (16 de julho de 2012)

Todo mundo que crer salvar o mundo é autoritário
Título original: Demagogia verde dos salvadores (15 de junho de 2012)

Inferno não são os outros, mas o 'marketing do eu', diz Pondé
Título original: Meu inferno mais íntimo (4 de junho de 2012)

Só mentirosos negam que sejamos responsáveis por nossas escol…

O que muda na língua portuguesa com a reforma ortográfica

A reforma ortográfica só será obrigatória a partir de 2012, mas as novas regras já podem começar a ser aplicadas a partir de 2009. O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa uniformiza o português do Brasil, Portugal, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe. Veja o que muda neste texto do professor Sérgio Nogueira. 



> Regras especiais


1ª) Regra dos hiatos (abolida pela reforma ortográfica):
Como era?
Todas as palavras terminadas em “oo(s)” e as formas verbais terminadas em “-eem” recebiam acento circunflexo: vôo, vôos, enjôo, enjôos, abençôo, perdôo; crêem, dêem, lêem, vêem, relêem, prevêem.

Como fica?
Sem acento: voo, voos, enjoo, enjoos, abençoo, perdoo; creem, deem, leem, veem, releem, preveem.


Que não muda?
a) Eles têm e eles vêm (terceira pessoa do plural do presente do indicativo dos verbos TER e VIR);

b) Ele contém, detém, provém, intervém (terceira pessoa do singular do presente do indicativo dos verbos derivados de TER e VIR: conter, deter, manter, obter, provir, intervir, convir);���…

Europa tem 75 mil prostitutas do Brasil

Em ruas de prostituição de Genebra, na Suíça, português é língua corrente. Nos classificados de jornais europeus, apresentar-se como “brasileira” costuma render mais clientes e programas mais caros. Não por acaso estrangeiras fingem ser do País para competir pela atenção dos homens.


do Estado de S.Paulo

Estimativas da Organização Internacional de Migrações (IOM), agência ligada à ONU, apontam quase 75 mil prostitutas brasileiras trabalhando hoje na Europa. E esse número só cresce. “Espanha, Holanda, Suíça, Alemanha, Itália e Áustria são os principais destinos”, diz a entidade. E o total de mulheres que deixam o Brasil é bem superior ao de homens. Na Itália, dos 19 mil brasileiros vivendo legalmente no País em 2000, 14 mil eram mulheres. O número elevado de prostitutas contribui para a diferença.

Dados do governo espanhol apontam existência de 1,8 mil prostitutas brasileiras no país e 32 rotas de tráfico de mulheres. Muitas usam Portugal como porta de entrada e praticamente todas chegam…