Câncer é a primeira causa de morte por doença entre crianças e adolescentes


Da Agência Brasil

O câncer é uma das principais causas de mortalidade entre crianças e adolescentes, na faixa de um a 18 anos no Brasil, e representa a primeira causa de morte por doença a partir dos cinco anos de idade. Essa é uma das constatações de estudo inédito lançado hoje (27), pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), do Ministério da Saúde.

A pesquisa foi realizada em conjunto com a Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (Sobope) e com os Registros de Câncer  de Base Populacional (RCBP), que atuam em 20 cidades nas cinco regiões brasileiras.

Segundo informou o coordenador de Prevenção e Vigilância do Inca, Cláudio Noronha, as leucemias são o tipo de câncer mais importante e aparecem em primeiro lugar em todas as faixas de idade, tanto entre meninos como entre meninas. As leucemias predominam entre as crianças mais jovens. Em segundo lugar, vêm os tumores de sistema nervoso central (SNC), que respondem pelas mortes acima de dez anos de idade.  Os tumores do sistema linfático predominam  na faixa de um a quatro anos e de 15 a 18 anos.

A mortalidade infanto-juvenil no Brasil por câncer está em torno de 40 mortes  para cada um milhão de crianças ao ano, sendo 44 mortes por milhão entre meninos e 36 por milhão entre as meninas. Noronha informou que, nas últimas três décadas, houve redução na mortalidade em torno de 0,27% ao ano, sendo mais significativa nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Nas regiões Norte e Nordeste, foi observado aumento da mortalidade por câncer entre crianças e adolescentes, mas Noronha advertiu que as diferenças regionais tendem a diminuir. “Tem havido uma melhoria importante na qualidade dessas informações. A tendência é de homogeneidade em relação ao padrão de mortalidade no Brasil”, afirmou. Ele destacou também que apesar dessa doença evoluir mais rápido entre as crianças do que entre adultos, a resposta ao tratamento é grande e costuma ser mais rápida quando o câncer é diagnosticado precocemente.

No entanto, ainda não há elementos que possam esclarecer a razão de haver maior mortalidade e incidência de câncer entre crianças do sexo masculino. Os profissionais do Inca descartaram, ainda, que haja relação entre a doença e o meio ambiente, envolvendo fatores como fumo ou poluição.

Leucemais são as mais freqüentes

O tipo mais freqüente de câncer em crianças e adolescentes no Brasil são as leucemias, alcançando uma média de 29% entre os casos nessa faixa etária. O percentual é o mesmo ao índice mundial. O dado consta de estudo inédito feito pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), divulgado hoje (27) por ocasião do Dia Nacional de Combate ao Câncer.

Mas, ao contrário dos países desenvolvidos, os linfomas são os tumores que aparecem na segunda posição entre aqueles que mais acometem a população infanto-juvenil brasileira, com média de 15,5%, seguidos dos tumores de sistema nervoso central (SNC), com 13,4%.

Em 20 cidades brasileiras, distribuídas nas cinco regiões, que têm registros de casos de câncer em crianças e adolescentes e monitoram esses dados com apoio do Inca, há maior incidência de câncer em meninos do que em meninas. A média é de 150 casos a cada milhão de meninos e 135 casos a cada milhão de meninas. Os números seguem o padrão internacional.

A pesquisa traça um panorama do câncer infanto-juvenil no país. Fruto de esforço conjunto do Inca, da Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (Sobope) e dos Registros de Câncer de Base Populacional (RCBP), a publicação tem por objetivo, segundo afirmou o diretor-geral do Inca, Luiz Antonio Santini, construir uma base de informações no Brasil a respeito do câncer infantil, porque até então os dados disponíveis até hoje, no Brasil, eram obtidos em outros países. “Isso era ruim. Não nos permitia ter uma avaliação adequada do que nós fazemos e dos programas que estão sendo desenvolvidos”.

O estudo pretende facilitar o planejamento em saúde que, por sua vez, levará à melhoria das ações de controle da patologia no Brasil. A incidência mais alta por câncer em crianças e adolescentes foi encontrada nas cidades de Goiânia, Porto Alegre, São Paulo e Curitiba.

Em relação à leucemia, que é o grupo mais importante da doença em termos de incidência, ocorre no Brasil uma média de 50 casos, anualmente, por um milhão em meninos. Nas meninas, esse número é um pouco menor : 40 casos por milhão.

O segundo grupo de tumores de câncer mais importante em incidência, que são os linfomas, também apresentam média mais elevada em meninos (30 casos por milhão) do que nas meninas (20 casos). Esse tipo de câncer acomete mais os adolescentes, na faixa dos 15 aos 18 anos.

No terceiro grupo de maior gravidade, que são os tumores de sistema nervoso central, a média é de 20 a 25 casos por milhão nos meninos e 20 casos por milhão em meninas. (Alana Gandra)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigos de Luiz Felipe Pondé

Europa tem 75 mil prostitutas do Brasil

O que muda na língua portuguesa com a reforma ortográfica