Pai de Anna: "Polícia prendeu dois inocentes" (Estadão)

por Carina Flosi e Oswaldo Faustino

Quando desceram para a garagem, às 22h30, Alexandre e Anna Carolina, foram algemados. Estavam acompanhados dos respectivos pais, Antônio Nardoni e Alexandre Jatobá. Antes, tiveram de se despedir dos filhos Cauã, de 1 ano, e Pietro, de 3.

O pai da madrasta ficou transtornado ao ver a filha sair na viatura. “Fui o último da família a conversar com ela. Eu disse: ‘Te amo, filha’. Ela entrou no carro, mesmo sendo inocente. A polícia prendeu dois inocentes.” Com a saída dos acusados, em carros separados, o cordão de isolamento, criado após um grupo jogar ovos em carros de polícia, começou a se desfazer.

Alarmadas pelo noticiário da TV, cerca de mil pessoas tomaram a Rua Timóteo Penteado, na Vila Galvão, em Guarulhos, diante do edifício em que moram os Jatobás. Elas esperavam presenciar o momento em que o casal se entregaria à polícia e deixaria o local. Para evitar o tumulto que se instalou na área a partir das 18 horas, policiais isolaram a entrada do prédio, por volta de 20h30.

Muitas pessoas gritavam frases agressivas, como “Vamos linchar!”, “Justiça!” e “Vamos matar!”. Receosos de que pudesse haver alguma agressão física contra Alexandre e Anna Carolina, cerca de 50 PMs negociaram com a população, pouco antes de isolarem a área.

A maioria dos curiosos era de mulheres e crianças. Maria do Carmo Góes, de 35 anos, foi uma das que ocuparam a entrada do prédio ontem, às 19 horas. Ela foi ao local com os dois filhos. “Fui buscar meus garotos, de 8 e 10 anos, na escola, e parei para assistir à saída do casal. Minha família está muito chocada com a morte da menina Isabella.”

“Eles querem expressar a amargura e o sofrimento que estão sentindo há muito tempo, por causa da morte dessa menina. Nós propusemos que, em vez de atos de violência, como atirar pedras ou ovos, fizessem uma salva de palmas para os policiais, na saída do casal”, afirmou o capitão George Henrique, do 15º Batalhão da Polícia Militar. Segundo ele, todos concordaram.

Mas nada impediu o tumulto e a correria após a saída do casal. A polícia teve de usar gás pimenta contra um grupo de pessoas que rompeu o cordão de isolamento e invadiu o edifício em que reside a família Jatobá em Guarulhos

Caso Isabella.

Comentários

  1. Coitado...e ao mesmo tempo espertinho porque até o boi zebu sabe que foram eles.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Artigos de Luiz Felipe Pondé

O que muda na língua portuguesa com a reforma ortográfica

Europa tem 75 mil prostitutas do Brasil