Pai de Isabella não recebe visitas e madrasta fica 21 horas sem comer (Diário de São Paulo)

por Fabiano Nunes e Tiago Dantas

SÃO PAULO - O consultor jurídico Alexandre Nardoni não recebeu visita de parentes no primeiro dia em que ficou na cadeia do 77 DP (Santa Cecília). Ele foi mantido sozinho em uma cela e passou boa parte do tempo sentado no chão. Alexandre não dormiu durante a madrugada.No local existem quatro celas, que estão ocupadas por 17 presos, incluindo o consultor. Segundo a polícia, Alexandre não foi hostilizado em nenhum momento.

- Ele está numa cela ao lado de pessoas que foram presas por crime sexual - disse um policial do 77 DP.

O delegado Albano Fernandes disse que os presos recebem visitas de familiares na primeira e na terceira quinta-feira de cada mês. De acordo com ele, a visita dos advogados acontece quantas vezes for necessário. A cadeia do 77 DP também atende pessoas que foram detidas na cracolândia, região da Luz, no Centro, conhecida por reunir viciados em crack.

- Os familiares podem trazer colchonete, roupas, alimentos e objetos pessoais para o preso - disse o delegado.

A mulher de Nardoni, Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá, de 24 anos, que está na carceragem do 89 DP (Portal do Morumbi) ficou cerca de 21 horas sem comer em seu primeiro dia na prisão.

O jejum foi quebrado por volta das 17h, quando a jovem recebeu a visita do pai, o estagiário de direito Alexandre José Peixoto Jatobá, de 45 anos. Ele ficou uma hora na delegacia e levou edredom, cobertor, roupas íntimas, uma caixa de Bis e salgadinhos para a filha.

Funcionários do 89 DP contaram que Anna Carolina Jatobá passou a maior parte do tempo deitada na cama, com o corpo encolhido, e sentada, de cabeça baixa.

- Quando ela me viu, chorou muito. E falava: 'Não acredito, pai, que estou passando por tudo isso'" - contou Jatobá, que reafirmou que acredita na inocência da filha.

Outras 10 mulheres estão detidas na mesma carceragem. A delegada-titular Silvana Françolin mudou cinco detentas de cela para Anna Carolina Jatobá ficar sozinha.

- Foi uma precaução - explicou a delegada, acrescentando que as presas não foram hostis.

> Dossie do caso Isabella.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigos de Luiz Felipe Pondé

O que muda na língua portuguesa com a reforma ortográfica

Europa tem 75 mil prostitutas do Brasil