Quase metade dos brasileiros sofre de distúrbios do sono

Agência Brasil

image Pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira do Sono mostrou que 43% dos brasileiros não têm um sono restaurador e apresentam sinais de cansaço no decorrer no dia. Os distúrbios dos sono podem causar desde problemas à saúde, como de relacionamento, profissionais e acidentes graves.

“A qualidade do sono é tão importante quanto a qualidade da alimentação. Quando o sono é restaurador acordamos com vitalidade, energia e motivação. Quando não dormirmos o necessário despertamos, ao longo de vários dias, cansados em demasia, irritados e com a capacidade produtiva reduzida”, explicou Jânio Savoldi, especialista da entidade.

O pneumologista e professor da Universidade de Brasília, Carlos Viegas, afirmou que os três principais problemas do sono são as insônias circunstanciais ou crônicas; os distúrbios como a apnéia (paradas respiratórias durante o sono), os roncos, que atingem grande parte da população, e os distúrbios neurológicos do sono, que são mais raros, e atingem apenas 1% da população.

Segundo o médico, o sono existe para que se possa restaurar do ponto de vista físico e psíquico. É preciso dormir um determinado número de horas, com qualidade, para se passar pelos vários estágios do sono.

“Quem sofre de distúrbio do sono poderá ter infarto, obesidade, diabetes, arritmia e hipertensão arterial. Não existe qualidade de vida sem qualidade do sono. Por isso, uma pessoa dorme um terço de sua vida, oito horas num período de 24 horas e aos 60 anos terá dormido 20 anos”, exemplificou Viegas.

O pneumologista destacou, ainda, que uma pessoa que passa várias noites com o sono fragmentado, terá perda de atenção. “Um dos problemas mais comuns entre profissionais, como motoristas e operadores de máquinas, são os acidentes. No Brasil não há dados estatísticos, mas nos Estados Unidos são mais de 25 mil acidentes por ano, causados pela falta de sono”, afirmou Viegas.

O Laboratório de Medicina do Sono, do Hospital Universitário de Brasília, é o pioneiro no país no atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O Serviço só é prestado gratuitamente em mais duas outras capitais: Porto Alegre e São Paulo.

A psicóloga responsável pela área de psico-educação do Laboratório, Lisiane Bittencourt, indicou que se faça uma higiene do sono para se garantir uma noite tranqüila.

“Deve-se deitar e acordar no mesmo horário nos sete dias da semana, desligar todos os aparelhos que despertem a atenção, evitar a ingestão de alimentos com cafeína, como o café, refrigerantes com cola, chocolate, beber pouco líquido após às 19h e comer refeições leves, de preferência até três horas antes de deitar”, recomendou Lisiane. (Lisiane Wandschee)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigos de Luiz Felipe Pondé

Europa tem 75 mil prostitutas do Brasil

O que muda na língua portuguesa com a reforma ortográfica