Pornografia infantil se chama Orkut, afirma procurador (Folha Online)

ALEXANDRA BORGES
Colaboração para a Folha Online, em Brasília

O procurador da República no Estado de São Paulo, Sergio Gardenghi Suiama, disse nesta quarta-feira (9) em audiência da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia no Senado que o Orkut lidera a lista das denúncias relacionadas à pornografia infantil no Brasil.

"A difusão da pornografia infantil tem um nome e esse nome é Orkut", disse Suiama. Ele citou dados da ONG Safernet que apontam o site de relacionamentos como responsável por aproximadamente 90% das denúncias de abuso relacionadas à pedofilia.

"Hoje, o Orkut é o principal serviço privado de pornografia infantil no Brasil', afirmou.

No entendimento do procurador, é preciso que as empresas criem ferramentas de controle, filtros que possam garantir combate aos abusos. O Google Brasil informou que estes tipos de filtros passarão a ser usados a partir de 1º de julho.

Durante seu depoimento na audiência da CPI, o presidente do Google Brasil, Alexandre Hohagen, disse que, do total de avisos de abusos que chegam ao Orkut, apenas 0,4% estão relacionados a crianças.

"Não é possível que uma comunidade de 27 milhões de pessoas seja prejudicada por alguns criminosos", disse Hohagen.

Em entrevista à Folha Online, o presidente da CPI, Magno Malta (PR-ES), afirmou que há a possibilidade do Orkut sair do ar caso a companhia não colabore com as demandas que serão apresentadas pelos senadores.

Suiama afirma que a atual prática do Google --responsável pelo Orkut-- de receber as denúncias de abuso e tratá-las internamente sem comunicar as autoridades acaba beneficiando os criminosos e os deixando impunes.

Segundo ele, sempre que é reportada a denúncia de perfis falsos, a empresa adota a postura de tirar do ar, deleta as fotos e impede que as autoridades consigam apurar os crimes.

O procurador disse ainda que o serviço criado pelo Google para proteger os "usuários do bem" do Orkut --ferramenta que bloqueia acesso a fotos e recados do dono da página-- está sendo usado pelos criminosos para fechar grupo e distribuir pornografia por meio destas páginas.

"Verificamos que 75% dos abusados notificados pela Safernet estão fechados para o acesso público", declarou Suiama.

Demanda

Suiama também afirmou que atualmente a PF (Polícia Federal) recebe 55 mil novos casos de pedofilia por ano, criando uma demanda de investigações impossível de ser atendida.

O procurador diz acreditar que será muito difícil combater esses crimes sem o apoio dos provedores, que podem repassar as informações e ajudar a flagrar os criminosos.

Como comparação, Suiama afirmou que se um dos principais concorrentes do Orkut --o MySpace-- já faz controle humano de fotos e páginas, não há como o Orkut alegar impossibilidade de filtrar o uso do serviço.

O procurador sugeriu aos membros da CPI que solicitem ao Google Brasil o acesso integral ao conteúdo dos álbuns bloqueados para que possam saber ao certo o que há por traz destes perfis.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigos de Luiz Felipe Pondé

O que muda na língua portuguesa com a reforma ortográfica

Europa tem 75 mil prostitutas do Brasil