Pular para o conteúdo principal

Perfil genético influi na escolha dos amigos, diz pesquisa

da Veja
As pessoas que têm a variante de um gene relacionado ao alcoolismo, chamado DRD2, costumam ser amigas de quem tem a mesma variante. E as pessoas que não têm essa variante genética, e que portanto têm menos propensão ao alcoolismo, tendem a ser amigos de pessoas que também não a têm. As afinidades valem também para adolescentes que não têm o hábito de ingerir álcool.

A descoberta é de cientistas das universidades da Califórnia em San Diego e Harvard em um estudo que mostra como alguns genes não apenas estão relacionados em pessoas de uma mesma família, mas em um mesmo grupo de amigos.

Segundo resultados apresentados ontem na revista da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, há um segundo gene chamado CYP2A6 que também apresenta um padrão estável em grupos sociais. Trata-se de um gene com uma variante que confere uma personalidade extrovertida e outra variante relacionada a uma personalidade mais introvertida. Nesse caso, os pesquisadores descobriram que as pessoas com o perfil genético extrovertido tendem a declarar-se amigas de pessoas de perfil mais introvertido e vice-versa.

Estes resultados são frutos de dois estudos de saúde baseados em análises genéticas de milhares de voluntários. No Estudo Nacional de Saúde Adolescente foram analisados os genes relacionados ao comportamento social para alunos de 142 instituições americanas. Foi descoberto que dois de seis genes – o DRD2 e o CYP2A6 – estavam relacionados entre amigos. A observação foi confirmada depois com dados de outros 9.237 voluntários no Estudo Framingham do Coração.

Segundo os cientistas, "a estrutura genética das populações humanas pode ser resultado não só das relações de reprodução, mas das relações de amizade". A evolução humana, dessa perspectiva, "não está limitada ao entorno físico e biológico, mas inclui o entorno social, que pode ser uma força evolutiva em si mesma".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigos de Luiz Felipe Pondé

Marketing social é coisa de gente mentirosa e egoísta.
Título original: Marketing social (3 de setembro de 2012)

Quem acha 'todo outro lindo' deveria defender apedrejadores.
Título original: Sensibilidade cultural (13 de agosto de 2012)

Ser humano só revela o que tem de melhor quando é esmagado.
Título original: "Bonequinha de Luxo" (6 de agosto de 2012)

Todo mundo quer ser 'legal' e ninguém quer ser pecador.
Título original: Ideologia de privada (30 de julho de 2012)

Espiritualidade trágica dos gregos é a melhor.
Título original: Nêmesis (23 de julho de 2012)

Mercado do apocalipse verde tem tudo do fanatismo
Título original: O infiel (16 de julho de 2012)

Todo mundo que crer salvar o mundo é autoritário
Título original: Demagogia verde dos salvadores (15 de junho de 2012)

Inferno não são os outros, mas o 'marketing do eu', diz Pondé
Título original: Meu inferno mais íntimo (4 de junho de 2012)

Só mentirosos negam que sejamos responsáveis por nossas escol…

O que muda na língua portuguesa com a reforma ortográfica

A reforma ortográfica só será obrigatória a partir de 2012, mas as novas regras já podem começar a ser aplicadas a partir de 2009. O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa uniformiza o português do Brasil, Portugal, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe. Veja o que muda neste texto do professor Sérgio Nogueira. 



> Regras especiais


1ª) Regra dos hiatos (abolida pela reforma ortográfica):
Como era?
Todas as palavras terminadas em “oo(s)” e as formas verbais terminadas em “-eem” recebiam acento circunflexo: vôo, vôos, enjôo, enjôos, abençôo, perdôo; crêem, dêem, lêem, vêem, relêem, prevêem.

Como fica?
Sem acento: voo, voos, enjoo, enjoos, abençoo, perdoo; creem, deem, leem, veem, releem, preveem.


Que não muda?
a) Eles têm e eles vêm (terceira pessoa do plural do presente do indicativo dos verbos TER e VIR);

b) Ele contém, detém, provém, intervém (terceira pessoa do singular do presente do indicativo dos verbos derivados de TER e VIR: conter, deter, manter, obter, provir, intervir, convir);���…

Europa tem 75 mil prostitutas do Brasil

Em ruas de prostituição de Genebra, na Suíça, português é língua corrente. Nos classificados de jornais europeus, apresentar-se como “brasileira” costuma render mais clientes e programas mais caros. Não por acaso estrangeiras fingem ser do País para competir pela atenção dos homens.


do Estado de S.Paulo

Estimativas da Organização Internacional de Migrações (IOM), agência ligada à ONU, apontam quase 75 mil prostitutas brasileiras trabalhando hoje na Europa. E esse número só cresce. “Espanha, Holanda, Suíça, Alemanha, Itália e Áustria são os principais destinos”, diz a entidade. E o total de mulheres que deixam o Brasil é bem superior ao de homens. Na Itália, dos 19 mil brasileiros vivendo legalmente no País em 2000, 14 mil eram mulheres. O número elevado de prostitutas contribui para a diferença.

Dados do governo espanhol apontam existência de 1,8 mil prostitutas brasileiras no país e 32 rotas de tráfico de mulheres. Muitas usam Portugal como porta de entrada e praticamente todas chegam…