Pular para o conteúdo principal

Revolução Facebook para os celulares: surge o 'social phone'

por Ernesto Assante, do La Repubblica

facebook Facebook em todo o lugar é a palavra de ordem, portanto: mas a resposta aos pedidos dos fãs mais aguerridos chega da Hutchinson Whampoa, empresa proprietária da companhia telefônica 3, que anuncia o primeiro "Facebook phone" para simplificar a conexão com o Facebook: é o INQ1. Para concorrer, a Wind aposta na força de atração do Blackberry, enquanto a Vodafone e a Tim jogam as cartas nos descontos de tarifas.

Frank Meehan, administrador delegado da INQ, a sociedade da Hutchison Whampoa que irá produzir o celular, fala de "social phone", justamente porque o celular é pensado para um usuário que quer se conectar com facilidade ao Facebook, às mensagens instantâneas, ao e-mail ou a outras redes sociais. Por outra parte, a conexão com o Facebook pelos aparelhos móveis está em crescimento, segundo Mark Zuckerberg, o criador do Facebook: "Mais de 30 milhões de usuários do Facebook acessam o sítio por meio de aparelhos móveis. Esse número se duplicou nos últimos seis meses, e esperamos que continue crescendo ao mesmo tempo em que as pessoas se familiarizem com os celulares como o INQ1".

O novo celular da 3 foi apresentado no World Mobile Congress de Barcelona há alguns meses e foi premiado como o produto do ano. O INQ1 permite acessar o Facebook com um único clique e garante um elevado grau de interatividade em tempo real: podem se visualizar as atualizações dos próprios contatos diretamente na tela do celular, pode se consultar o status e ver as fotos dos perfis dos próprios "amigos" também a partir da agenda telefônica. A novidade está também no preço: o INQ1 chega ao mercado no dia 27 de abril ao custo de 99 euros, tornando o acesso às redes sociais em mobilidade acessível sobretudo ao público mais jovem.

Mas os jovens demonstram gostar também do Blackberry. Por isso, o Blackberry 8009– na versão lançada pela Wind – contém uma isca precisa: "linka" justamente o Facebook com uma certa simplicidade. A sociedade telefônica acrescenta uma segunda isca: uma tarifa "young" que permite navegações ilimitadas na web por 12 euros ao mês (oferta válida tanto para os pré como para os pós-pagos). A Wind tem também a oferta"Campus", que permite que os universitários troquem 1.000 SMS e conversem por 1.000 minutos por mês (em troca de cinco euros mensais). Certamente, deve-se avaliar se os custos de uso tão reduzidos compensam o esforço para comprar o sofisticado Blackberry.

O Facebook tem uma enorme capacidade de atração, e isso fica demonstrado pelo acordo que a Vodafone fez com a sociedade do "social network". Os clientes Vodafone, se inscritos no Facebook, podem navegar na web ao custo de uma tarifa muito barata: dois euros por semana. Nessas horas, a Tim finalmente se mexe com a oferta "Maxi Internet": os 10 euros por mês dão direito a 50 mega por dia de tráfego (para os cartões pré-pagos) e a um giga de tráfego para quem tem conta mensal.

> Redes sociais e celulares são futuro da web, diz "pai" da WWW. (abril de 2009)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigos de Luiz Felipe Pondé

Marketing social é coisa de gente mentirosa e egoísta.
Título original: Marketing social (3 de setembro de 2012)

Quem acha 'todo outro lindo' deveria defender apedrejadores.
Título original: Sensibilidade cultural (13 de agosto de 2012)

Ser humano só revela o que tem de melhor quando é esmagado.
Título original: "Bonequinha de Luxo" (6 de agosto de 2012)

Todo mundo quer ser 'legal' e ninguém quer ser pecador.
Título original: Ideologia de privada (30 de julho de 2012)

Espiritualidade trágica dos gregos é a melhor.
Título original: Nêmesis (23 de julho de 2012)

Mercado do apocalipse verde tem tudo do fanatismo
Título original: O infiel (16 de julho de 2012)

Todo mundo que crer salvar o mundo é autoritário
Título original: Demagogia verde dos salvadores (15 de junho de 2012)

Inferno não são os outros, mas o 'marketing do eu', diz Pondé
Título original: Meu inferno mais íntimo (4 de junho de 2012)

Só mentirosos negam que sejamos responsáveis por nossas escol…

O que muda na língua portuguesa com a reforma ortográfica

A reforma ortográfica só será obrigatória a partir de 2012, mas as novas regras já podem começar a ser aplicadas a partir de 2009. O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa uniformiza o português do Brasil, Portugal, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe. Veja o que muda neste texto do professor Sérgio Nogueira. 



> Regras especiais


1ª) Regra dos hiatos (abolida pela reforma ortográfica):
Como era?
Todas as palavras terminadas em “oo(s)” e as formas verbais terminadas em “-eem” recebiam acento circunflexo: vôo, vôos, enjôo, enjôos, abençôo, perdôo; crêem, dêem, lêem, vêem, relêem, prevêem.

Como fica?
Sem acento: voo, voos, enjoo, enjoos, abençoo, perdoo; creem, deem, leem, veem, releem, preveem.


Que não muda?
a) Eles têm e eles vêm (terceira pessoa do plural do presente do indicativo dos verbos TER e VIR);

b) Ele contém, detém, provém, intervém (terceira pessoa do singular do presente do indicativo dos verbos derivados de TER e VIR: conter, deter, manter, obter, provir, intervir, convir);���…

Europa tem 75 mil prostitutas do Brasil

Em ruas de prostituição de Genebra, na Suíça, português é língua corrente. Nos classificados de jornais europeus, apresentar-se como “brasileira” costuma render mais clientes e programas mais caros. Não por acaso estrangeiras fingem ser do País para competir pela atenção dos homens.


do Estado de S.Paulo

Estimativas da Organização Internacional de Migrações (IOM), agência ligada à ONU, apontam quase 75 mil prostitutas brasileiras trabalhando hoje na Europa. E esse número só cresce. “Espanha, Holanda, Suíça, Alemanha, Itália e Áustria são os principais destinos”, diz a entidade. E o total de mulheres que deixam o Brasil é bem superior ao de homens. Na Itália, dos 19 mil brasileiros vivendo legalmente no País em 2000, 14 mil eram mulheres. O número elevado de prostitutas contribui para a diferença.

Dados do governo espanhol apontam existência de 1,8 mil prostitutas brasileiras no país e 32 rotas de tráfico de mulheres. Muitas usam Portugal como porta de entrada e praticamente todas chegam…