Tremor provoca rachadura em hospital da Zona Leste (G1)

Parede de uma das salas do PS da Vila Alpina teve rachadura de 60 cm.
Bombeiros foram até o local e não havia informação de feridos.


O tremor de terra de 5,2 graus na escala Richter, que foi sentido no final da noite desta terça-feira (22) no estado de São Paulo, provocou uma rachadura de 60 cm na parede de uma das salas do Hospital Estadual da Vila Alpina, na Zona Leste. Os bombeiros foram chamados, mas não havia informação de feridos.

De acordo com a enfermeira Célia Regina da Silva Sales, a rachadura foi na sala da central de vagas, em uma área administrativa, localizada no 2º andar. Ela contou que o prédio tem 6 andares e que só naquele ponto verificaram a rachadura. "Não teve correria e naquela sala não ficam pacientes", disse a enfermeira.

Segundo o Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UNB), o tremor ocorreu a 270 km do litoral de São Paulo, por volta das 21h e durou cerca de cinco segundos. Seus reflexos foram sentidos em cidades dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina. O epicentro foi localizado no Oceano Atlântico.

Para Jorge Sand, coordenador do observatório, essa região tem uma atividade sísmica grande por ser uma plataforma continental, com interfaces de regiões mais densas e menos densas.

O tremor foi sentido em vários pontos da capital paulista e de cidades do interior e do litoral. Há relatos de que outras cidades do Brasil também foram afetadas. O Corpo de Bombeiros da capital informou que sentiu o tremor no prédio da corporação. Segundo os bombeiros, várias ligações de diversos pontos da cidade foram registradas com a denúncia do tremor.

A Polícia Militar informou que recebeu várias ligações da região de Santana, Cerqueira César, Avenida Paulista e Aeroporto, com relatos de pessoas que sentiram os prédios nos quais estavam tremer.

Moradores de Santos, Peruíbe, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e Limeira também sentiram o fenômeno. Segundo a PM, em Mogi das Cruzes, dois edifícios ficaram trincados por causa dos tremores. O Corpo de Bombeiros está no local está e vai avaliar a necessidade de esvaziar os prédios.

Até as 22h, a Defesa Civil de São Paulo informou que não tinha registra desabamentos por causa do incidente. A Companhia de Engenharia de Tráfico (CET) afirma que não registrou danos em estruturas na cidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigos de Luiz Felipe Pondé

Europa tem 75 mil prostitutas do Brasil

O que muda na língua portuguesa com a reforma ortográfica