Justiça determina afastamento de diretores da Finatec (Folha Online)

por Gabriela Guerreiro


O TJ (Tribunal de Justiça) do Distrito Federal determinou o afastamento de cinco diretores da Finatec (Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos) --entidade que teria usado recursos de pesquisa na compra de móveis de luxo para o apartamento do reitor da UnB (Universidade de Brasília), Timothy Mulholland.

A desembargadora Nídia Côrrea Lima acatou o pedido do Ministério Público do Distrito Federal na noite desta sexta-feira. Ela designou Luiz Augusto de Souza Fróes como interventor para assumir, temporariamente, o comando da entidade.

A polícia cercou o prédio da Finatec desde ontem à noite, em Brasília, para evitar a retirada de documentos do local. O interventor é o único autorizado pela Justiça a ingressar no prédio, mas só assumirá formalmente o termo para ocupar o cargo na segunda-feira.

Segundo o Ministério Público, Fróes foi escolhido como interventor com base em seu currículo profissional.

A desembargadora decidiu pelo afastamento dos diretores após ação apresentada pelo Ministério Público, no final de janeiro. Na decisão, Nídia Lima afirma que a intervenção, "embora constitua medida drástica, permitirá ao MP, como órgão de fiscalização, apurar de forma mais eficiente as irregularidades imputadas aos dirigentes da Finatec permitindo o retorno daquela fundação ao atendimento dos fins para os quais foi criada".

Segundo o TJ, as investigações do Ministério Público continuarão ocorrendo dentro da legalidade, com o objetivo de preservar a Finatec.

Professores

Os cinco dirigentes afastados são professores da UnB: Antônio Manoel Dias Henriques, Nelson Martin, Carlos Alberto Bezerra Tomaz, Guilherme Sales Soares de Azevedo Melo e André Pacheco de Assis. Eles foram acusados de utilizarem verbas da fundação, destinadas à pesquisa, em bares e restaurantes de luxo.

A Finatec, de acordo com o Ministério Público, teria gasto R$ 470 mil na compra de móveis luxuosos para a residência do reitor. Entre os gastos, há a aquisição de três lixeiras (R$ 2.738), de equipamentos de TV e som (R$ 36.603), de telas artísticas (R$ 21.600) e 16 vasos com plantas diversas na cobertura (R$ 7.264).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigos de Luiz Felipe Pondé

Europa tem 75 mil prostitutas do Brasil

O que muda na língua portuguesa com a reforma ortográfica