Dirceu acusa PT gaúcho de construir sede com caixa 2 (Do Estadão de 4 de janeiro de 2008)

por Clarissa Oliveira

O ex-ministro da Casa Civil e deputado cassado José Dirceu afirmou em entrevista à revista Piauí deste mês que recursos de caixa 2 financiaram a construção da sede do PT em Porto Alegre, um dos principais redutos da sigla. A revelação foi feita em meio a uma bateria de ataques aos também petistas Raul Pont, ex-prefeito de Porto Alegre, e Olívio Dutra, presidente do partido no Estado.

“Ele fica falando que o partido não precisa de coligação... Tenha paciência”, disse Dirceu sobre Pont, segundo a revista. “O que fizemos por esse pessoal não é brincadeira. E eles não ajudam em nada, só nos dão pau.” Dirceu disse que a sede de Porto Alegre “foi feita só com dinheiro de caixa 2”. “Era com mala de dinheiro.”

Dirceu lembrou que seu grupo no PT se manteve ao lado de Olívio, quando a denúncia atingiu seu governo. “A gente estava com eles, não os abandonamos em nenhum minuto.” Hoje no PSOL, a ex-petista Heloísa Helena também foi alvo. “Ela votou contra a cassação do Luiz Estevão. Votou mesmo, e por motivos impublicáveis. Mas nunca a deixamos sozinha.”

O ex-deputado afirmou que “esse pessoal” procurava o então tesoureiro do partido, Delúbio Soares, peça-chave do esquema do mensalão, para pedir dinheiro. “Chegava para Delúbio e falava: ‘Delúbio, preciso de 1 milhão.’ Como é que alguém vai arrumar esse dinheiro assim, de uma hora para outra?”, argumentou. Quando não recebiam, prosseguiu o ex-ministro, diziam que a direção era autoritária e privilegiava sua própria corrente. “O pobre do Delúbio tinha de ir aos empresários conseguir doações. Aí, estoura o mensalão e esse pessoal vem dizer que o Delúbio era o homem da mala. O que não dizem é que a mala era para eles.”

Ele não poupou o novo presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), a quem chamou de “gaiato”. “Já trocou o guarda-roupa e deve estar arrumando os dentes, e isso vai dar um trabalho danado”, afirmou ele, condenando ainda o fato de Garibaldi e outros senadores serem proprietários de emissoras de rádio. “Esse Garibaldi tem duas rádios. E fica por isso mesmo.” E voltou o discurso para o senador Jefferson Péres (PDT-AM). “Fica aí posando de arauto da moralidade e a mulher trabalha no gabinete dele. É nepotismo.”

Na entrevista, Dirceu tratou ainda da eleição de 2010. Admitiu que as ministras Dilma Rousseff (Casa Civil) e Marta Suplicy (Turismo) têm poucas chances de vitória. “Se eu ainda tivesse a petulância de me candidatar à Presidência, era capaz até de ser eleito.”

Ontem, Dirceu esclareceu, por meio de sua assessoria, que não teve a intenção de apresentar denúncia ao falar sobre o PT de Porto Alegre. Disse que apenas repetiu acusação feita pela oposição ao partido no Estado, que não foi provada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigos de Luiz Felipe Pondé

O que muda na língua portuguesa com a reforma ortográfica

Europa tem 75 mil prostitutas do Brasil